13 de mar de 2008

Celina

Em São Paulo
não há céu.

Densa bruma
cinzento véu
veste a capital.
Sinistro dossel.

Sem céu
chora a garoa,
escorrem tristes
os metrôs.

Não pingam estrelas
na capital sem céu.

Busco céu
nas anônimas esquinas,
nas vitrines
nos celestes edifícios
nas avenidas celinas.

Ai, que saudade
de cel.

4 comentários:

Pinky disse...

Que saudades da Cel
:(

Essa minha amiga Iracema, meio cearense, meio brasiliense e que agora tem um pouquinho de paulistana faz uma falta danada...

Sem Cel
a tarde é nublada
a vida?
cinzenta
E as estrelas?
Fogem do céu...

Elliott disse...

:~~~~

julia disse...

bonito

Cel disse...

mesmo q são paulo não tivesse sequer um estrela, um sol radiante q queima, uma lua que tímida vem na minha janela e se deita...

mesmo q o cinza existisse eterna e tristemente, e q a saudade do ceú encantador do meu cerrado me fizesse querer voltar.

a sereia que não sabe nadar me faz sentir e amar, com a intensidade de uma das minhas mais lindas amizades

te amo neguinha, obrigada!