10 de mar de 2008

Marina

Mira a menina,
a sina,
a alucinação,
a beleza felina,
florina.

Mole menina,
ilumina o breu da mina,
a ferina.

Mira a menina,
mira a maré
da retina.
O mel da crina
cobrindo branca lira.
Mira!

Mira a brisa
do mar de Marina
mira suas mechas,
e os medos
de mil marinas.

Mira os marujos
mareados.
A maresia
dos mortificados.

A menina
nina o sono
dos naufragados,
dos libertinos.

Fina menina,
desta redoma,
deste destino,
desta rima,
me redima.

3 comentários:

julia disse...

pooo veei
isso daria uma música muito massa!!
se der
deixa musicar??

;**

Elliott disse...

como diria erza pound: a palavra literaria eh aquela que tem varios sigificados

gostei dos varios sentidos das palavras do seu poema
:)

julia disse...

uheueuehuehue
n sei se daria mt certo não...
mas posso tentar