11 de mar de 2008

Mescalina IV (ou Conversando com o Aldous IV)

Abro pupilas, portas, peito.
Percebinfinitamente.

Há uma dor
pulsando
na sarjeta da capital.

Há um fedor
espumando
nos dentes da cidade.

Uma sopa de
rachaduras,
cinzentos letreiros,
palavras sem idioma.

Lares e sonhos de papel.
Céu ausente.

2 comentários:

Anônimo disse...

"Um fedor espumando nos dentes da cidade..."

Que frase do caralho, acho q isso eh uma perfeita descrição da cidade de São Paulo.

Densos os versos da mescalina não????

Nigeriana Clandestina

Elliott disse...

esse eh o mais vísceral...

como diz um amigo meu
kkkkkkkk

"Pessoas cinzas normais"
Belchior

São Paulo é cinza.
...