26 de mar de 2008

Tática

Tic tac tic tac tic tac
Tanta hora tanta hora...
Não estar contigo:
ártico atípico em mim.

Teu distante toque,
átomo que resta
tateando-me
tac-ticando tac-ticando...
a mesma temática.

Tempo tempo tempo
Ponte-continente
Lento ponteiro

Teus olhos
vitrais absínticos
piscam tic tac tic tac...

Distância:
tua tática cortante
que ataca-me, ata-me
tac-ticando tac-ticando...

8 comentários:

julia disse...

é tão linda sua brincadeira com as palavras

Anônimo disse...

"Teus olhos
vitrais abisínticos."

Ai ai...tão verdes.

ADOROOOO!!!

Poesia é isso né, um pouco de si, um pouco do outro e um pouco de tudo.

Sempre Clandestina

julia disse...

me humilhando em praça pública né danada

Anônimo disse...

não poderia passar em branco - tinha q comentar.

porém, meus comentários, por mais que eu me esforce, não chegarão nem perto do que transmite suas palavras. por mais sinceros que sejam..

Beijos e parabéns!

*conselheiro amoroso*

huelén disse...

tic tac...

não vejo a hora do reencontro...

beijos

moça da voz de brisa.

Pinky disse...

"Distância:
tua tática cortante
que ataca-me, ata-me
tac-ticando tac-ticando..."


Pra quem não é romântico da segunda geração a distância e essas saudades que impendem os reencontros não são nada boas mesmo...

A cada dia gosto mais dos teus versos

desculpa as ausências, viu?

:********

huelén disse...

coloquei um link do seu blog lá no meu!!

agora estaremos sempre em contato através dos nossos rabiscos.

estarei sempre aqui e

te espero sempre por lá!

beijos apertados

raiza

Anônimo disse...

Devem ser muito bonitos uns olhos vitrais absínticos.
Se acaso mirarem-se em um olhar melífluo de uns olhos enormemente belos que andam tiquetaqueando por aí, pode ser que dê um bom coquetel. rsrs
Um monte de beijos. Te amo.
PS: Adoro essa clandestina paraguaia que invade o seu blog.