27 de mai de 2008

Capitu

És frêmito
em minha pele.

És fêmea boca,
pêssego úmido.
Ressaqueado
olhar machadiano.

(quero a ponte,
um arco,
pra estas íris)

Sou dissimulada poesia
que te beija.

5 comentários:

Eurico disse...

Capitulei, diante da dissimulada poesia...
Belíssimo poema!
Grato pela tua, sempre gentil, visita ao blogue.
Abraçamigo.

Salve Jorge disse...

Capítulo
Capitulo
Cá pinto-a
Tu
És febre

Efêmera boca
Pé cego amigo
Resto saqueado
Ó lar manchado do ano

(Sete cores
Nos olores
Das faltas de sabores)

Só diz molhada sinestesia
Que arfa
Fraqueja
E aceita...

Juliana Caribé disse...

O layout novo ficou MUITO melhor que o outro...
Olha a coincidência: hoje eu já ouvi umas quinhentas vezes uma música chamada Capitu. Eu adoro os olhos dissimulados dela...

Beijos.

julia disse...

sempre esses seus finais
pow Yara!!!!

Raiz disse...

beija-me e te capturo.