15 de jul de 2008

Declaração

Nada a declarar à imprensa!

Nenhuma renda ou posse
que valha a pena
dar satisfação ao Leão!
(só à poesia vale a minha pena)

Na certidão,
nos papéis oficiais,
nas notas públicas impudicas
(é preciso descarar!)

Declaro:
é preciso declarar o amor!

4 comentários:

Salve Jorge disse...

Amor
É pra ser dito
Pintado
Tem de ser sagrado
De tão profano
Tem de ser insano
Por escrito...

H.Hora disse...

E a receita, nem quer saber desses nossos versos.
Ela quer nossos impostos,
postos à mesa
Para que nosso banquete de amor...
nem pareça declaração.

João disse...

Parece que não podemos conhecer todos completamente. Não sabia que vc fazia versos. E também não sabia que eles atravessavam. Me sinto à vontade para declarar: vc faz versos como quem declara guerra.

obs.: valeu pelo comentário no meu blog e obrigado pela confiança.

grande bj

Vinícius Psoa disse...

Será que devo me arriscar? Pensava que não, mas agora vejo que não devemos nos maltratar por acharmos que o infinito está à beira do abismo. Que o amor seja eterno enquanto dure.

Declare-se...