5 de set de 2008

Forjado

O adeus:
lâmina de aço afiada.
O fio cravado na carne
pinga as dores e licores dos dias.

O músculo expele
o aço regurgitado cuspido devolvido
em fervor, fundido.

Espera-se
que o adeus de aço derretido
(chorado sangrado)
esfrie
solidifique
endureça
este coração.

12 comentários:

Grazielle disse...

Endurecer até endurece... Mas deixa vir outro amor em forma de tornado... O coração derrete que nem manteiga na frigideira!

Gostei dos textos (vim dpois que te li no 7 cabeças)

Raiz disse...

(c) oração


Dilata
coração comprimido
pulsa
em ritmo acelerado
sangra
sangue grosso e pesado.
amolece
coração petrificado.

*** Cris *** disse...

Bom fim de semana!

Augusto S. disse...

amargura em minha boca, sorri seus dentes de chumbo...

triste e denso isso !

gostei.

Sandra Regina de Souza disse...

In-tenso! belos versos... de adeus consentido... que dói. beijos, moça!!

Aline Aimée disse...

lindo, lindo, lindo.

* hemisfério norte disse...

Bolas, yara!!!!!
cada vez melhor....
bjs
a.

J.F. de Souza disse...

mas
o pedaço
de aço
não pulsa
junto
e o coração
descompassa
e passa a
sentir
o peso
do metal
que
des
cola

Será preciso
infinitas lâminas
pra forjar um coração
que não sinta mais dor alguma

(Acho que vou precisar buscar meus comments nos blogs... Acabo deixando umas coisas legais, às vezes...)

=*

Bunny disse...

Uau.
Bizarro de foda.... muito

aline disse...

prefiro cinzas ao chumbo.
essa síndrome de fenix me persegue.

beijo.

H.Hora disse...

É nosso sistema imunológico
que expele,
que envolve.
O aço,
a pele
a pérola.
as vezes até o coração.

todo mundo precisa de um sistema de defesa para esse vírus chamado; amor.

Yara disse...

"...agora conta como hei de partir..."