2 de dez de 2008

Hipérbato

Inverto.

Vertingens verto.
Inventos inconvenientes
verso eu.
Dou-te pois, seu é este.

E se meu fosse
mais que revolucionices verteria.
(Mais que em versos ver-te).
Sub-versiva forma seria.
Um inverno in-verso ver-teria eu.

Pois despetala
desespirala a história
este primaveril sub-verso:

Um sujeito histórico
inobjeto
à frente do verbo é posto.
De frente hiper batendo.
À aurora rente.

E a (des)ordem esta
que se sub-verta!

6 comentários:

Natália Nunes disse...

o que mais ando querendo é isso de sub/supra VERTER.
amén.

J.F. de Souza disse...

verso e
reverso
o universo
inteiro
e o que há de
averso
atraverso

*** Cris *** disse...

Olá Beatrice,td bem?
Gosto desse jogo que vc faz com as palavras. Parabéns pela poesia.
Bjs!

J.R. Lima disse...

versos convertidos em conversas
a letra atrela
quase inversos
palíndormos
quase...

Marrí disse...

'E se meu fosse'...

Estações inteiras
(Ver)teria em flores
Suspiros
Avessos, embebecidos
In-versos

Benza Jáh seu poetar!

Marcela Santos disse...

Adorei! *-*
Jogo de palavras, desde o título do Blog.

Muito bom!