30 de dez de 2008

Monorgia

Se vendados os labaredos olhos,
pareciam incontáveis:

Descortinadas bocas arreganhadas
esfomeados dedos e línguas
sugam vértices arrepiados
contornam arestas e convexas carnes
adentram fendas e recônditos côncavos
tateiam ora ferinos ora sedosos
penetram fenêtres, aguardam sedentos
os versos escorridos entre pernas
o poema úmido gutural
as minhas multiplicadas borbo-letras líquidas.
Incontáveis.

Mas eras tu apenas.

13 comentários:

Antonio Araújo Jr. disse...

"tu apenas", dito assim, só uma vez, mesmo assim incontáveis vezes arrepiam, retumbam, reverberam...
deu até vontade de contar borboletras

Cosmunicando disse...

borbo-letras líquidas é demais... esse poema ficou maravilhoso =)

Francisco Castro disse...

Os encantos da poesia nos leva ao delírio, ao imaginário, ao pensar a realidade e o que não é real. Mas, a poesia é o remédio da alma e da mente.

Abraços

J.F. de Souza disse...

Olha... Tô admiradíssimo!!!

Que beleza de poema... =)

Feliz 2009, Yara qrida! =*

Taiyo Omura disse...

a sonoridade do poema é hipnótica...

vou passar mais por aqui

beijo

Pavitra disse...


"Mas eras tu apenas."


e que seja sempre assim!

adorei a monorgia!

beijos, yara
e que 2009 seja múltiplo!

Ricardo Valente disse...

Somos uma mistura de desejo e compustura, quando na realidade deveríamos ser animais. Impulsivos e dóceis, mas verdade! Beijo, minha linda!

KêDy disse...

tu apenas??
não fostes todo o poema


parabens pelo blog muito legal

Jaya disse...

Yara,

Acho que preciso te contar um segredo: de toda a blogosfera, poetisa igual a você, ainda não encontrei. A maneira como você harmoniza as palavras e traz os sentidos, é algo único. Eu, sinto. Passeio. Desenho.

Ah, moça. Obrigada por poetar. Be-la.

Beijos muitos.

joão pedro wapler disse...

oi. vi que você é freqüentadora do blog do ricardo e tem um blog interessante também. bom, pra completar nossa rede de blog eu vou te dar o endereço do meu:
www.poesiaimoral.zip.net

Sabrina Sanfelice disse...

E apenas tu, com suas palavras, conseguiu incontáveis lidas, repetidas, necessárias, viciantes, até que meus olhos pudessem lacrimejar de prazer.

Vc me arrepia com seus poemas. São fantásticos.

* hemisfério norte disse...

bolas.....
gostei muito
parabéns
UM BOM ANO 2009
bjs
ana

Sandra Regina de Souza disse...

Simplesmente magistral
poema visceral
lateja