5 de dez de 2008

Poema número 100

Sentes o poema?
Meu tema tão santo,
tão sinto...

Esta insone centelha
sem rima,
absíntica.

Sentes
o centésimo
do milímetro
do meu poema?

Meu poema
sem ti
sem número...
100-tes?

5 comentários:

Hardie Poupette. disse...

Dentre tanta mediocridade virtual, encontrar um regalo como este é bênção. Hj em dia, todo mundo brinca de escrever. Montar blogs, colunas em outros blogs, em portais, sem sequer entender a diferença entre obrigada e obrigado, esse ou este, e assim por diante, é uma praxe assustadora.
Me conforta nossa sincronia.

Obrigada pelo que acolhe em mim.
Vamos trocar referências?
Beijo.

Elliott disse...

genial!!

talvez o melhor!

Cris de Souza disse...

Poeta de mão cheia !

J.F. de Souza disse...

100timentos 1000...

Cosmunicando disse...

como é que eu não tinha te achado antes?
gostei muito =)
obrigada pela visita lá