21 de jan de 2009

Desacordo

Uns novos acordes
ecoam.
Deixam
circunspectos os pássaros
tristes asas circunflexas
proibidas de pousar
na palavra voo.

25 comentários:

Raíza Rocha disse...

Até os pingos de chuva
foram proibidos de banhar-me.
Argüido, o trema se despede.

Múcio L Góes disse...

yara, mae dagua?
beatrice, a de dante?
poulain, de amelie?

=]

gostei de tudo.

bjo

Cosmunicando disse...

dos mais belos vôos (ainda usoasa) que li por estes dias...

fred disse...

Muito bom, mas nas minhas continuarão pousando.
Beijo

Alex Pinheiro disse...

Aiaiviw! Tô aqui com asa, mas sem vôo possível,,, buff!

Bjs e geniais invenções!

Ricardo Valente disse...

Pássaros pousam na mão. Comem... migalhas. Vão... e voltam! Fechamento. Aborrecimento... Somos versos, que sustentam, eclodem e se apaixonam.

Sabrina Sanfelice disse...

Que forma mais linda de falar de um assunto tão triste (no meu caso).

Salve Jorge disse...

Eu que destôo
Daí que vôo
Mesmo havendo enjôo
A esmo
Aedo
Desde cedo
Desacordo desconcordo...

Felipe disse...

:)

Fênix disse...

Voar ficou mais fácil.
O voo é direto,
Mas é esquisito.
Beijos

Faça-me uma visita.

Elliott disse...

hum

voar nem sempre eh bom
:\

J.R. Lima disse...

do ovo
o voo impossível
do meu avoo...

fernando disse...

caramba!
me tocou em algum lugar
lá longe
me trouxe na volta guimarães rosa
que não sei bem onde disse alguma coisa assim:
um pássaro
no silêncio do uraricoera
preservava do esquecimento os acordes de uma fala desaparecida
e
só o pássaro conservava no
silêncio as asas sem vôo...

abraços ternos!

adrianna coelho disse...

e o voos sem asas
ficam assim tão rasteiros, né?

eu acordo com seu desacordo!

beijos!

Aline Aimée disse...

Foi bom "acordar" o dia de hj com a leitura de seu poema. Se bem que os mistérios da palavra nos des-acordam da rotina triste, que nos impede de pousar em ternos voos.
Tô sumida pq tô escrevendo os trabalhos do mestrado, ok?
Beijo.

julia disse...

oi menina linda!

Delírios das Borboletas disse...

belas palavras, disse tudo!
beijos

Sandra Regina de Souza disse...

Pode servir de epígrafe para os dicionários novos!!! MARAVIHOSO!! ...rsrs... bjs

Thiago disse...

pousar é desnecessário pra quem sempre mantém os pés fora do chão!

=)

Ramon Alcântara disse...

Boa!

Excelente!


Ai que agonia, pobres condenados a voar eternamente....

arrepiei........

Adriana disse...

voei até aqui.

J.F. de Souza disse...

essas aves todas
agora pousam
na
implicância

J. Caribé disse...

Você devia mandar esse poema pro Bechara, como forma de protesto contra o novo acordo ortográfico! =)

Serjones disse...

esses novos acorde que ecoam também me causam enjoo.

Paulo D'Auria disse...

"tristes asas circunflexas
proibidas de pousar
na palavra voo"

Hehehehe... gostei!
Beijos,
Paulo