5 de abr de 2009

As mãos

Estas mãos tantas
de metas metacárpicas
sobre o corpo meu.

De precisos dedos bisturis,
tu ris.

E cravas
as depravadas garras
na crua carne.

Minuciosas falanges
dedilham músculos
nas mais agudas notas.

Tuas mãos me tocam.
Eu canto.

12 comentários:

fernando cisco zappa disse...

uau!

corpocapto
também
canto!

evoé menina!

Elliott disse...

Tuas mãos me tocam.
Eu canto.

pow achei belissimo isso deu ideia de que o toque da mão num instrumento musical

Cosmunicando disse...

poema dedilhado, afinado e sensualíssimo =)

Raíza Rocha disse...

teus versos dedilham música em meu corpo.
a cada toque,
um movimento acentuado em tom agudo.



beijos de saudades.
rai

Eurico disse...

Meu Deus! Quanta beleza! Pq não vim te ler há mais tempo. Aqui há Poesia!
Abraço fraterno.

fred disse...

Muito bom

Mariana Ferreira disse...

Foda!!!

Márri disse...

.Lirismo palavreado.

Anônimo disse...

Descrevo-te em verso
Pois minha prosa, desgosta
De não fazê-la música.
Descrevo teu som.
E faço dele aconchegante canção.



Do CARALHOOO.......=)

Sou sua fã

Aline Aimée disse...

Me deu vontade de oferecer esse poema ao meu amor...

Thatha Goveia disse...

olá tem um selo pra voce lá no meu blog ..olhe lá...
http://thathagoveia.blogspot.com/

Renata de Aragão Lopes disse...

Gracioso. Adorei!