23 de abr de 2009

surreal

é de linho o lençol
sobre o qual
o sonho sangra
uma navalha no olho
no ventre, na velha ideia

é branco o lençol
sobre o qual
Buñuel sonha
e coagula
sobre o qual
eu menstruo
a poesia morta

e abro a porta
para idílicos lucíferes
e gastrites taciturnas

é branco o lençol
que se faz mortalha
ou frágil camisa de força
de linho virgem
sobre o qual se desenham
gritos e magrittes

asas de tecido
presas no varal
que pedem tintas inconscientes,
voos

e eu já não sei
se comigo na cama
é Freddy ou Lynch
que me pinta
nua

ou se é tua língua
ou se é um camaleão entre tintas
ou se é...

27 comentários:

fernando cisco zappa disse...

gosto
cada
letra
gozo

lar gato
cama leão

vibram em tuas tintas

fernando cisco zappa disse...

e se eu
tivesse
que lhe enviar um e-mail
pra qual enviaria?

Capitu. disse...

Surreal,
exterminador,
um cão andaluz
a caminhar discretamente em voos inconscientes.
Buñuel, o belo da tarde.

Aline Aimée disse...

Além do seu manejo invejável da palavra, fiquei um tempo debruçada sobre a escolha da cor branca.
Aí lembrei que além da loucura, na camisa de força, há uma espécie de núpcia, que é o ápice das sensações, e há tb uma inocência, já que o inconsciente é desprovido das amarras da razão. O branco é revelador, qualquer mancha ou traço é aparente e o surrealismo está ligado ao excesso, ainda que incompreensível de imediato.

Sempre sempre amo vir aqui...

Rafael disse...

Gritos e voos
Com a mortalha frágil
Na cama inconsciente
Varo o camaleão branco
Que menstrua com a navalha
Num sonho de idílicos varais sujos

Fernando Costa disse...

Querida Yara

Que sua generosidade em acompanhar meu canto poético, impulsione-me a traduzir em versos a leveza da amizade, o fascínio de um abraço e um inteiro do querer bem.

Obrigado de coração pela gentileza, e por favor, sinta-se abraçada.

Parabéns pelo vosso canto, este genial e extremamente preciso.

Excelente Feriado para você e para todos aqueles que você ama.

Até a próxima – Fernando Costa

Eurico disse...

Sempre envaidecido com tua presença no meu blogue. Vim pasmar com teus poemas. O surreal a nos forçar os sentidos, a nos empurrar para um ler dentro.
Poesia, pura poesia!

Abraço fraterno.

Jaya disse...

Em que armário você esconde esses versos, hein? Me explica?

Costurei, o todo. Cores, nomes, sentidos, variantes. Tuas letras respiram, Yara. Eu suspiro. Me inspiro.

Ah, que delícia...

Beijo, moça.

[Sumida].

Capitu. disse...

um quê de amelie...

lindo isso aqui.

bjos

Miguel Barroso disse...

Muito bom.

Marcos Côrtes disse...

Olá moça...

Desculpa usar o post como meio de contato... Mas valeu por seguir o meu blog!

Já vi muita coisa no seu blog e gostei... andarei atento a ele ainda mais : )

Ela. disse...

Fascinante o novo layout, poético, vivo!

Marie-Angufus Compectinaikos disse...

Eis-me aqui pra comentar, sobretudo, nada a declarear caso queira com prender do que diabos se trata de ex-culhambar com'as palavras Novas, cuja cidade vi, vim e venci esbaldar aqui comigo.
Importa é que a vassoura faz tesouro com'merda de pouco no chiqueRio de janeiro, ferve rei no mar só abriu no meio de unha a injúria a gosto do freguês sem ter brocas ou (até) tu, Brutus!, não vem, que dez ombros não sustentam farelos filosóficos nem a pau!

fred disse...

Muito bom.
Beijos

Alex Pinheiro disse...

Simplesmente estonteante, na complexidade absurda que a letra permite,,, e lindo. Sem mais, nem menos; simples assim.

Bjs e geniais invenções!

Thiago disse...

sem qualquer razão aparente! eu gostei muito do cheiro da amelie aqui!

Victor Borba disse...

Gostei daqui. Pretendo voltar.
Até.

Salve Jorge disse...

Surreal
Seu real
Desalinho
Em branco linho
Seu caminho
Pra cada espinho
De sangue
Um mangue
E mais vinho
Surra
E sal
Sensual
Urra
É...

Thatha Goveia disse...

nossa, maravilhoso seu blog..ja estou a segui-la rs...
de uma passada e comente meus simples versos e pensamentos, bjos

http://thathagoveia.blogspot.com/

Anderson Meireles disse...

Suas palavras voam e pousam como pássaros livres, porém cativos!

Lubi disse...

obrigada!

:)

Sandra Regina de Souza disse...

Imagens fortes... desenhadas em tela branca com sua tinta... que me avermelha! MARAVILHOSOS TONS!!!
bjos

Anônimo disse...

po muito bom...adorei...
não conhecia o blog...
vou começar a frequentar...
abraços..pedro...

Jaya disse...

Saudades do clima Ameliezante, daqui.

Antonio Araújo Jr. disse...

Yara, fique sabendo disso. V~e se te interessa!!
Beijão!

O “Espaço Cassiano Nunes” (ECN) da Biblioteca Central da Universidade de Brasília (BCE/UnB) promove Concurso Nacional de Poesia.


Inscrições/ regulamento


- Estão abertas as inscrições para o Concurso Nacional de Poesia Cassiano Nunes entre os dias 12 de maio a 31 de julho de 2009. Os prêmios serão entregues no dia 15 de outubro de 2009, no “Espaço Cassiano Nunes” em Brasília- DF.
- As inscrições podem ser feitas pessoalmente na Biblioteca Central da UnB e pelo Correio: “Espaço Cassiano Nunes” Campus Universitário Darcy Ribeiro, Gleba A, Biblioteca Central, CEP 70910-900, Brasília – DF, Brasil
- Dentro de um envelope (com os poemas), apenas com o título da obra e pseudônimo do autor, deverá estar outro envelope (lacrado) em tamanho menor, com os seguintes dados: Nome, pseudônimo, endereço completo, CPF e telefone(s).
- Pode concorrer qualquer poeta brasileiro;
- Os poemas devem ser apresentados em língua portuguesa;
- Cada candidato concorre com até 03 (três) poemas;
- Os poemas devem ser rigorosamente inéditos.

Prêmio


1º lugar – R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
2º lugar – R$ 3.000,00 (três mil reais)
3º lugar – R$ 2.000,00 (dois mil reais)

Diploma e publicação


- Além do prêmio em reais aos três primeiros colocados, será entregue um Diploma aos vencedores, que terão seus poemas publicados em livro.
- Poemas dos demais concorrentes, de 01 a 100, também farão parte desta publicação.
Casos omissos serão dirimidos pela Comissão Julgadora sendo suas decisões irrecorríveis.
Brasília, DF, 12 de maio de 2009.


Sely Maria de Souza Costa Maria de Jesus Evangelista
Diretora da Biblioteca Central da UnB Curadora “Espaço Cassiano Nunes”

Antonio Araújo Jr. disse...

hahaha desculpa colocar isso na pagina de comentários, mas só agora percebi que esse é o único contato que temos. Fique a vontade prapagar depois hehe

Um beijo

costa capillé disse...

são sonhos seus suspiros
são surreais
são reais
realmente arranham
arrasam
arrastam
sofremos o seu rabiscar.