26 de mai de 2009

Alagoas

Dizias
de um viver afrodisíaco
de permanente embriaguez.
Infindas noites
quentes mantas.

Dizias paradisíacas
as águas verdes
e sereias doces
de madeixas em algas
e alagadas vulvas.

Dizias de solos
chorando cores
sedimentares
sobre os mares.

(Seriam falácias
as tuas falésias,
teus retalhos de terras?)

E teus olhos,
mais que úmidos,
mais ainda
diziam.

E de sereias verdes,
de olhos mares,
de úmidos solos,
de ti
alaguei-me.

19 comentários:

J.F. de Souza disse...

ê, alagou-as... =P

----------------------------

Que bom que vc atualizou isso aqui! Eu jpa vinha cobrar mais escritos teus! =P

=*

Antonio Araújo Jr. disse...

nem existe vencer, essas tais de poesia nem tem vencimentos... mas eu gostaria de passar meus olhos tortos nas suas lagoas impressas, nem me importa ficar sem, se puder ler quem eu gosto no meio dos cem. Isso sim é bem importante. beijo

Jaya disse...

Um suspiro, só. E saio alagada de mim mesma. Escorro.

Cosmunicando disse...

(Seriam falácias
as tuas falésias,
teus retalhos de terras?)
...


isso é simplesmente lindo.

Fernando Costa disse...

Muito lindo, encantador...

Leve, muito simples...

Mágico, muito tocante...

No Mais? No mais deixo-me ficar, bem frente o mar desta ilusão.

Saudações Fraternas e o meu mais sincero reconhecimento ao vosso mais que imensurável talento.

Super Beijo.

.Ela. disse...

.
Mergulhei caudalosamente
em teu verso quente
musical, macio
de veludo...

Valdemir Reis disse...

Olá Iara estou visitando e quero registrar minha satisfação ao passar aqui. Fica minha gratidão por sua amizade e atenção. Tudo isto nos fortalece e aproxima. Saiba que gostei muito deste trabalho. Realizado com muita Inteligência e excelente qualidade, parabéns pelo post, belissimo, uma maravilha, gostei, meu reconhecimento e votos de muito sucesso e brilho. Honrado por sua amizade, espero por sua visita.
Quero compartilhar com você o poema abaixo do nosso imortal Vinícius de Moraes:
“Certas palavras podem dizer muitas coisas;
Certos olhares podem valer mais do que mil palavras;
Certos momentos nos fazem esquecer que existe um mundo lá fora;
Certos gestos, parecem sinais guiando-nos pelo caminho;
Certos toques parecem estremecer todo nosso coração;
Certos detalhes nos dão certeza de que existem pessoas especiais,
Assim como você que deixarão belas lembranças para todo o sempre. Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.”
Desejo um fim de semana repleto de alegrias extensivo aos familiares. Forte abraço, paz, luz, saúde, prosperidade e muitas bênçãos. Fique com Deus. Felicidades.
Valdemir Reis

Adrianna Coelho disse...


Alagoas...
menina, vc é muito boa!

adorei!

Natália Nunes disse...

"chorando cores
sedimentares"

"retalhos de terra"

adorei esses termos, sonoros!


poxa, muito belo o que vc pega e fazz dos meus textos, adoro ler suas paráfrases lá no meu blog. obrigada pela presença :)


beijos!

costa capillé disse...

são sonoros
seus poemas

salpicados deum ar um tanto onírico
arrasador, abrasador
abrasa a dor

me lembram suspiros.

Renata (impermeável a) disse...

afogou-se, tmabem?

adelaide amorim disse...

Belo poema, Yara. Beijo!

Luciana Andrade disse...

Lindo, lindo, lindo!

Antonio Araújo Jr. disse...

ansioso pela grãodeza do próximo post

B7C disse...

Oi, Yara!

Blog de 7 Cabeças está comemorando 3 anos com a realização de um concurso e vamos presentear nossos amigos-leitores com muita poesia!

Esperamos você em nossa festa! ;)

Concurso B7C

Abraços,
B7C

Fernando Costa disse...

Que tal uma nova nota?

Um pouco de talento (teu), livre, bem leve e mais ainda solto.

Digo: Saudades do Contentamento Em Palavras...

Leila Saads disse...

Onda do mar que carrega e seduz, é palavra bonita de quem sente saudade...

Um beijo!

Ps: Gostei do visual do blog! Isso aqui tá cada dia amis bonito!

Renata de Aragão Lopes disse...

"Seriam falácias
as tuas falésias,
teus retalhos de terras?"

O trecho que mais me encantou...

Jaya disse...

Queria uns versos novos.