5 de ago de 2010

Gás lacrimogêneo

Tudo o que era concreto
evaporou.

Restou,
lacrimogêneo e tóxico,
o gás da saudade:
partículas de memórias
envenenando pulmões,
ardendo nos olhos.

De lacrimogêneo,
o apartamento
virou câmara de gás.
Cianídrico.

O aroma
transbordando das panelas.
Os graus centígrados
dos lençóis.
O pH dos corpos ensaboados.
Na minha pele,
os átomos desgarrados do teu corpo
pelo atrito com o meu.
Todos os nossos pontos
de ebulição...

Tudo evaporou.
Mas não, nada se perde.
Tudo é transformação,
reação química, ou dialética.
Refazendo ligações covalentes.
Re-solidificando.

2 comentários:

Cel Bentin disse...

Ré solidificando as partes fermentam sabor, provocação e pagam a conta. a vida é sim, toda química. a gente, bem, reagente. curti!

Elliott disse...

Minha pele
teus
lençóis
dialética
no seu toque -
ebulição.