23 de fev de 2011

Acalanto

Desperto teu sono pueril.
Meu vinil arranhado
quer te tocar.

Teus dedos
brincam canções
nos meus músculos.
Em teu corpo
faço lira,
me deleito lúdica,
pulo corda
do teu violão.

De teus lábios
brotam pássaros
feitos de devaneio
trinando acalantos.

E em teu colo,
fino lençol
de pele de criança,
adormeço.

7 comentários:

Joana Masen disse...

Poesia sonora.
Lindo Yara! Bjos!

Eduardo Trindade disse...

"Meu vinil arranhado / quer te tocar." Adoro essa suave transgressão! Tua poesia tem força e sentimento, guria!

poemismo disse...

leve, levíssimo.
lindo.

idílico.

Caranguejúnior disse...

Muito bom! escutei cada sílaba desse Poemúsica...

PAz e Luz!

Tatiana disse...

Yara...
Fico imensamente grata aos bons ventos que me trouxeram até aqui...
Seu blog é inspirador!
Você tem um belo dom!
Um abraço carinhoso

• c disse...

embriaguez de leveza.

CARLA STOPA disse...

Lindo...