20 de jul de 2012

Raiz

Não tenhas preguiça de enraizar-te.
Cravar unhas, tronco, braços,
caule, cascas, pele,
seiva sumo, saliva, sementes.
Deixar-te ao sabor do solo
a pensar o fruto
traçando laços sedimentares
Deixar-te apenas
descansar os músculos carnosos
fibras clorofílicas
em meu ventre de humus
a umidecer-te.