22 de set de 2012

Ritual

São quase desnecessários
os rituais de marzipã.
As bocas cheias
de discursos e camafeus.
A dama de branco,
a dança,
os retratos de açúcar.
Quase desnecessário
o pacto trêmulo
de dedos entrelaçados.
O 'se' e o 'sim'.
Essencial (e apócrifo)
é o laço.

20 de jul de 2012

Raiz

Não tenhas preguiça de enraizar-te.
Cravar unhas, tronco, braços,
caule, cascas, pele,
seiva sumo, saliva, sementes.
Deixar-te ao sabor do solo
a pensar o fruto
traçando laços sedimentares
Deixar-te apenas
descansar os músculos carnosos
fibras clorofílicas
em meu ventre de humus
a umidecer-te.

5 de mai de 2012

Lombociatalgia

A dor que não se sabe
se sexo sutra,
se ciático o nervo,
se cianureto o sentimento.

A dor se sabe etílica.
E não sabe
se o osso
é sacro ou ilíaco,
se são vias sacras ou profanas
os quadris.

3 de mai de 2012

Transfusão

Apenas me avise
se desejar uma transfusão

de sangue
saliva
ou sinestesias.

Do orvalho
que minha corola
ocultou.

Tudo que secretei,
que puder ser injetado,
todo verso que coagule
e te cause
reação.


17 de abr de 2012

Cubo Mágico

No vértice da tarde
minha cor e a tua
tão primárias
se expandem
por todos os lados
poliédricos.

(Enquanto outros cubos
incolores, doloridos,
gelam o verso do corpo,
o álcool do copo)

Nossas cores pontiagudas
circundam um eixo
(de vida)

E se teu movimento
preciso, calculado,
encontra, ao acaso,
no mesmo de seis lados
minha cor sem rumo,

é apenas para saber
nosso perfeito encaixe.