28 de ago de 2008

In-exata

seria possível
calcular-me resolver-me abstrair-me
descobrir minha raiz
meu xis
meu milesi-mal?

eu
sempre esta tangencial
beirando lambendo tocando
a pele da tua circun-ferida
poética universal

eu
sempre vértice
de um triste prisma
tentáculo retilíneo
de carambola
perfurando-te

eu
tirando-te dos eixos
eu sempre parábola
concha côncava
abrindo-me
infinitando minhas linhas

eu
sempre paralela
para todos para ela
congruentemente cruzada
pelo ângulo de um olhar

eu
tua beatriz, tua bissetriz
dividindo-te
confundindo-te
para não ser sub-traída

eu
(cuidado!)
sempre em minha má-temática
milimétrica mítica
mato

23 comentários:

Aline disse...

nunca lido nada igual.

ps. preciso do seu e-mail, tenho um convitte a fazer-te. :D

Yara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
aline disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
julia disse...

se não for o melhor um dos melhores
lindo lindo lindo

Alicia disse...

Sinceramente, até eu que sou mais lesada e lerda pra entender poesia fiquei de boca aberta pra essa...

Ficou linda mesmo!! Adorei muito!!!

Mary disse...

Adorei!!!

E tive a mesma idéia que a Aline teve! :P

Vou voltar mais por aqui.

Beijoss

Remo Saraiva disse...

Muito bom te conhecer logo por este poema!!

Evoé você toda, poeta!!

Sê bem-vinda no "caramelinhos".

Está "add" lá em nossos favoritos.

Aproveito para deixar o endereço do meu blog pessoal:
remosaraiva.blogspot.com

Bjs meus,
REMO.

Leila Saads disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leila Saads disse...

Desvendar todos os lados de uma pessoa? Acho que não é possível... Por mais óbvio que o pretenso decifrado possa parecer...

Sempre brincando com as palavras. E o resultado sempre é gostoso de ler.

Um beijo grande!

Tata disse...

Pleno, descrevo assim.

H.Hora disse...

Matemétricas
rimedidas
rimas
tédios
metonímias
retas, curvas, arcos,
dispersão
translação.

o amor é isso minha cara,
soma e subtração.

Ramon Alcântara disse...

seria. elevando-se a identidade ao circulo.


abzz

*** Cris *** disse...

Você brincou com as palavras e deu seu recado. Lindo texto!
Bom domingo!
Bjs!

O Profeta disse...

Fecham-se as janelas de poente
Acenderam-se os luzeiros no céu
A cidade desperta para o arraial
Uma noiva procura o perdido véu

Os acordes da Banda no Coreto
Uma tuba marca o compasso
O clarinete dança na calmaria
O Maestro solta gestos no espaço



Bom fim de semana



Mágico beijo

Sandra Regina de Souza disse...

me perdi nas contas dos versos perfeitamente re-contados numa lógica semântica sem nexo! Muito linda a tua in-exatidão de ser! beijossss

Luciana Andrade disse...

Gostei daqui!
Texto forte!

Leandro Jardim disse...

muito bem calculada essa boatemática! :)

Augusto S. disse...

por hora me divirto com você...

outrora me asssusto...

vou tentar montar um destes também .. em sua homenagem!

haha

: *

Máa ;* disse...

nossa,amei!

Elliott disse...

vixi... sendo assim tenho até medo de tu!!
hehehehe

Aline Aimée disse...

não há fórmula que dê conta de desvendar a tua poesia: ela resolve a si mesma nas suas incógnitas variantes: beleza infinitesimal...

GrandeGod disse...

Gostei de vários poemas que li,
comentei neste pois achei-o irresistível, mas não concordo com vc...
Vc tem uma ótima-temática!

;)

1000 bjs

Yara disse...

"Por ser exato
o amor não cabe em si"